quinta-feira, 25 de novembro de 2010

Geophagus sp. "orange head" , Tapajós



Biótopo:
América do Sul - Eartheaters
Distribuição Geográfica / População:
Rio Tapajos, bacia do Amazonas
Características da água:
Temperatura: 24ºC a 28ºC
pH: 6,0 a 6,6
dH: 2 a 6
Alimentação:
Tal como a sua denominação indica (eartheaters), são peixes que buscam nos fundos arenosos a sua alimentação que se compõe de pequenos crustáceos e larvas de insectos.
No aquário têm tendência a ser selectivos com a comida rejeitando flocos. Devem por isso ser alimentados com comida congelada, tal como artemia, kril e larvas de mosquisto (esporadicamente) e granulados de boa qualidade.
Dimorfismo Sexual:
Os machos tendem a ficar maiores que as fêmeas e têm as barbatanas dorsal e anal mais pontiagudas e a zona vermelha da cabeça tende a ser mais colorida nas fêmeas na altura época da reprodução.
Tamanho Máximo:
Macho: 16cm
Fêmea: 14cm
Comportamento:
Tal como a generalidade dos geophagus, é uma espécie bastante pacífica para peixes de outras espécies apenas se notando conflitos com outros peixes do género Geophagus mas que, num aquário com as dimensões adequadas, não são mais do que o definir de hierarquia e de marcar território sem chegarem grande confronto físico. Coabitam por isso facilmente com outros ciclídeos anões mas deve evitar-se mantê-los com outros ciclídeos de grande porte devido à sua timidez.
Reprodução:
Incubador bocal larvofilo biparental.
O casal, depois de formado, escolhe um local, como uma pedra lisa ou um tronco inclinado, para fazer a postura e limpa-o com cuidado. Enquanto os ovos estão depositados no local de desova, a fêmea areja os ovos e defende-os dos intrusos, enquanto o macho vai guardando o território. 72 horas após a postura, os ovos transformam-se em larvas e, nesta altura, são recolhidas pela fêmea na boca terminando aí a encubação.
Tamanho mínimo do aquário:
1,50m para um grupo de 5 indivíduos de ambos os sexos ou um casal a viver em conjunto com outros Geophagus.
Outras Informações:
Esta é uma das espécies mais pequenas de Geophagus e das mais populares devido à sua beleza derivada da zona vermelha da cabeça.
Autor:
Jacinto Salgueiro